quinta-feira, 30 de julho de 2015

Uma foda deliciosa

- Oi Ana tudo bem?
- Sim Alma, tudo ótimo. O que você queria me contar menina?
- Bem melhor você encher teu copo porque a história é longa e faço questão dos detalhes...
- Ui, nossa garota. Fala então....
- Bem você lembra que eu tinha te contado que um amigo que eu não via a um tempão estava morando no meu bairro novamente certo?
- Sim lembro bem, o bonitão da foto do zap!
- Sim esse mesmo, passamos a nos ver sempre pois ele começou a caminhar junto com o nosso grupo.
No começo caminhava e se exercitava sozinho, mas como conhecida dele me senti na obrigação de enturma-lo com nosso grupo e dai passamos no mesmo horário a andar em grupo.
Os meninos foram super simpáticos e as meninas claro uns amores, até porque ele é um cara charmosos e com uma conversa agradável.
Então fluiu bem de boa, e logo já estava enturmado com o pessoal.
Flávia que não é boba está dando várias cantadas nele e parecia que estava fluindo um interesse mútuo entre eles, eu achei super bacana e dei a maior força.
- Alma tá até ai normal a tua cara fazer de cupido, mas não é isso que você tem pra me contar...
- Sim Ana, vou pular essa parte e ir direto pro dia de ontem...
- Espera, deixa eu pedir uma porção de batatinha que pelas voltas que você está dando o negócio ferveu certo?
- Pois é amiga, eu estava super chateada ainda por conta de meu último namoro não ter acabado muito bem e saber que o Fred estava com outra me deixou numa pior, como de costume encontrei esse meu amigo e fomos caminhar.
Por escolha dele evitamos o grupo e fomos falando da nossa vida e nossa situação amorosa e pelo que passamos.
Foi agradável na volta resolvemos parar naquela praça mais perto da minha casa e pedimos um sorvete e eu distraidamente esbarrei em um rapaz que corria com o cachorro e derrubei em cima de mim.
Fiquei chateada e ele rindo me disse que eu não estava nos meus melhores dias, e não deixaria eu ir pra casa até eu estar bem.
Fomos a casa dele, tudo muito bem organizado e com um bom gosto incrível.
Ele  me deu  uma toalha e uma camiseta dele e disse que banho quente sempre anima e enfeitou o rosto com um sorriso charmoso que eu nem havia notado antes que ele tinha.
Animada fui tomar um banho e tirei a camiseta melecada de sorvete e a bermuda, minha sorte é que não sujou o top nem a calcinha.
Sai do banheiro meio sem jeito só com a camiseta dele e com a roupa que eu tinha lavado embaixo do chuveiro.
Ele riu e falou  para eu colocar lá fora pra secar...
Fiquei olhando para ele que preparava algo na pia e com uma voz certeira afirmou: - Enquanto suas roupas secam um pouco você fica pra comer algo, certo?
Comer algo, aquela frase me deu um duplo sentido que ri e apenas balancei a cabeça...
Ele me deu o controle da TV, e disse que ia tomar um banho.
Fiquei na sala zapeando a programação foi quando ele veio com sanduíches e suco para nós, comemos e rimos do programa humor que passava na TV.
Fui ajudar ele levar as coisas para a cozinha e lhe dei um abraço de agradecimento por ter melhorado meu dia.
Foi quando nos olhamos nos olhos e ele fez menção que iria me beijar e eu abaixei o rosto desviando.
Mas ele me pegou pelo cabelo e me roubou o beijo mais quente que eu havia provado, não resisti o gosto dos seus lábios e me entreguei aquela sensação deliciosa...
Logo ele já me pressionava contra a parede me tirando o fôlego.
Na TV rolava algum filme que havia começado e minha mente já estava longe daquele ambiente, a respiração cortante e as mãos dele pelo meu corpo me pegando com força e eu ali derretendo.
O pênis dele roçava duro em mim enquanto ele apertava meus seios e me beijava mordendo a minha orelha, me lembro até de ouvir os meus gemidos...
Me puxou pelas mãos e me jogou praticamente no sofá, já tirando a minha blusa e o top sugando meus seios faminto.
Mordiscava de leve e eu em êxtase...
Arrancou minha calcinha e ajoelhado diante de mim abriu minhas pernas, começou beijando meus joelhos e roçando a barba por fazer em minhas coxas.
Eu já estava louca de tesão, mas ele de modo sedutor me cheirava delicadamente...
- Nossa! Eu teria gritado me chupa, anda!!!!
- Ana ele tinha um jeito louco de sedução que nunca provei e fazia isso enquanto me olhava e estudava minha reação, passou para a outra coxa fazendo o mesmo até passar o queixo na minha boceta me arrepiando até a alma.

Me deu um puxão brusco e invadiu minha xota com a língua mais deliciosa que já esteve entre minhas pernas, ele era perfeito nos movimentos e eu tremia quando ele mordiscava meu grelinho.
Invadiu minha sexo com os dedos hábeis e gozei infinitamente.
Ele sai do meio das minhas pernas e me perguntou se eu  já havia provado meu gosto?!?!
Respondi que não, ele me beija e sinto meu cheiro e meu gosto nos lábios dele.
Fico louca como um cara pode me deixar com tanto tesão tendo acabado de gozar?
A essa altura eu estava faminta para chupar ele e puxei o cadarço da calça que ele vestia.
Se colocou de pé a minha frente e lá estava aquele pau duro e ereto pra mim.
Passei delicadamente a língua fazendo movimentos circulares na cabecinha proporcionando a ele o mesmo que ele tinha feito comigo me demorando ali, olhar suas expressões me divertia.
Mas quando o engoli vi ele fechar os olhos e gemer meu nome respirando fundo...
Chupei ele deliciosamente indo até o fundo da garganta, enquanto massageava suas bolas.
Ele me puxou com força me colocando de quatro e meteu com vontade em minha boceta, num ritmo frenético...
Puxava meu cabelo, e batia na minha bunda.
Me pegou com força pela cintura me dando estocadas e eu gemi feito uma cadela no cio...

Se sentou no sofá e eu montei nele, subindo e descendo naquela pica gostosa e chamando ele de meu puto.
Ele me olhou nos olhos e disse: - Vai minha puta, me dá prazer...
Gente qual a mulher que não se derrete com essa?
Fui com gosto.
Gozei gostoso no pau dele...
Ele disse que ia gozar e me levantei para saborear toda porra...
Tomamos uma ducha juntos e trepamos no box também.
Exaustos dormimos juntinhos e fui pra casa depois do café e de mais uma foda logo pela manhã.
- Alma que isso amiga?
- Pois é Ana, agora eu te digo e a Flávia heim?
- Na boa, perde o carinha não ele está na sua não na dela...

Alma das Rosas

4 comentários:

  1. Esse é o primeiro conto seu que leio mas pelo conteúdo os outros também devem ser uma delícia

    ResponderExcluir