quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Ele (Mini conto)


Prometi a mim mesma que não cederia mais a nenhuma investida dele, que rouba meus sentidos mais idealistas que possuo.
Não faço o tipo menina mimada nem carente, sou segura dos meus passos e atos. Digamos uma mulher independente e de ações!
Mas o que fazer com Ele?
Ele me deixa como a mais Amelia das Amelias e isso me irrita.
Decidida tomei meu Gim-tônica e fui...
Lá estava Ele; Altivo, lindo, perfumado e o mais seguro de si possível!
Claro ele sabia mergulhar em minha alma apenas olhando no fundo dos meus olhos, então eu sempre evitava tal contato.
Mas hoje não tinha jeito, eu sabia que por mais que tentasse ele me roubaria o script e daria outro fim ao espetáculo.
Trocada todas as falas e eu me perdendo entre elas, seguimos em frente com nosso teatro onde eu disfarçava o que desejava e ele que não percebia minha linguagem corporal...
E no fim quando achei que as cortinas se fechariam e eu voltaria ao meu camarim, Ele bandido e sórdido entra em cena pressionando meu corpo contra a parede e puxando meu cabelo para trás me chamando de sua PUTA xucra e arredia.
O meu corpo lutava contra e a favor daquele momento, e minha alma fugiu indo correr a maratona em outro lugar.
A rua lugar público onde os mortais circulam se tornava apenas cenário onde Ele me dominava mergulhando seus lábios em meus beijos e seus dedos entre minhas pernas entrando e saindo de mim.
Então você me diz que eu deveria sair daquela situação e me valorizar, certo?
Se sou tudo que mencionei ali em cima seria o ato que mais fecharia com esse tipo que afirmo ser, porém eu lhe afirmo que lutei contra o corpo mas se bem lembra mencionei que minha alma partiu deixando apenas a loba no cio.
Então desfrutei sim, gozando em seus dedos como uma putinha barata na rua.

Alma das Rosas

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Minha primeira aula de direção


- Marcela querida, estou mandando esse email pra te contar como foi a aula de direção.
Fui naquela auto escola que você me falou.
- Bem eu estava super nervosa, ainda mais que nunca peguei no volante e trocar a marcha me preocupava pois não saberia quando deveria fazer isso...
 Mas vou te contar com detalhes o que aconteceu.
- Sai de casa com aquele vestidinho de florzinha pois achei que de saia ficaria melhor...
E como ficou nossa...
- Bem então..., chegando lá fui atendida na secretaria ou seja lá o nome que se dá por uma mulher rabugenta,.
- Achei que era ela que iria me dar a aula prática, mas ela chamou um tal de Fernando.
- As teóricas eu fiz no outro prédio e fiz a prova direitinho, faltava iniciar as tais nervosas aulas práticas...
- Aguardei alguns minutos quando um verdadeiro deus grego me apareceu, nossa você precisava ver! Alto, moreno barba por fazer o máximo.
- Bem tentei não parecer nervosa mas estava na cara...
- Ele se apresentou e me levou até o carro, me explicou como tudo funcionava e mandou eu dar a partida.
- Ele segurava a minha mão no volante me ensinando a fazer a curva fechadinha...
- Foi quando ele disse passa a marcha e menina fiquei nervosa e esbarrei no pau dele...
Mudei de cor, fiquei nervosa, juro que foi sem querer mas você sabe que sou estabanada!
- Ele me disse que a aula ia ser de direção defensiva, onde o motorista passa por diversas situações e continua dirigindo, então eu disse ok.
- Foi quando ele começou a passar a mão pelos meus seios, descendo pela minha barriga chegando nas minhas pernas, levantou meu vestido e começou a me masturbar.
- Gente que louco será que alguém passa por essas coisas?
Eu quase não conseguia mais prestar a atenção na rua.
- Foi quando eu disse que era melhor parar!
-Trocamos de lado ele dirigindo e me levou para um lugar fora do centro...
Masturbei ele e logo cai de boca no pau dele subindo e descendo freneticamente!
Paramos nem sei bem onde pulamos para o banco de trás.
Eu subia e descia com aquele pau enorme na boceta, o carro começou a ficar todo embaçado...
Estava rolando no som Dissolved girl eu gemia rebolava!
Ele me colocou de quatro e meteu no meu cuzinho, ninguém tinha me comido daquele jeito!
Fiquei louca, me pegava com vontade, puxava meu cabelo me chamava de gostosa.
Pedi a ele pra gozar na minha boca para sentir o sabor daquele moreno delícia!
O que era aquilo menina?
O leitinho mais delicioso que já provei.
- Bem essa foi a minha primeira aula de direção, espero que a sua seja tão boa quanto a minha.
Beijos amiga...

Alma das Rosas

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Primeira vez anal ninguém esquece


Não sabia o que me esperava quando disse sim, 
Afinal uma menina não fala sim no primeiro encontro, mas eu disse!
Nem sei se posso chamar de encontro...
 Querido diário vou contar a loucura que no auge da minha adolescência eu fiz, espero que ninguém da minha casa leia isso, mas preciso guardar os detalhes do acontecido para ler quando eu ficar velha. 
Viajei para Arraial do Cabo com meus pais, contra a minha vontade é claro, afinal queria ficar as férias com minhas amigas azarando os meninos do bairro, mas como não tenho escolha fui com eles. 
Ficamos na casa de um amigo do meu pai, o Sr. Bento ele é um cara bonito, alto, atlético, olhos claros e uma boca perfeita, aparentava uns 38 a 40 anos, cabelos um pouco grisalhos e um andar muito sedutor, veio nos receber assim que chegamos, meu pai foi logo me apresentando: - Bentinho essa é minha filha Alma das Rosas e a Laura você já conhece. 
Sorrisos trocados e apresentação dos cômodos onde ficaríamos feita, fui me trocar e claro fui para a piscina, meus pais saíram para ver umas casas que comprariam lá. 
E eu fiquei lá tomando meu sol até uma sombra do nada aparecer, abri os olhos e era o Sr. Bento trazendo suco e algumas frutas e colocou ao meu lado. 
- E então Alma que tal a piscina? 
- Maravilhosa Sr.. Bento... 
- Bentinho por favor querida. 
Tirou a camisa e o short e numa sunguinha de praia branca pulou na piscina, dando algumas braçadas. 
De olhar aquele homem maravilhoso fiquei com a calcinha molhada e os biquinhos do seio durinho, não sei bem o porque mas ele mexeu comigo. 
Saiu da piscina molhado e veio na minha direção estendendo a mão, não resisti e aceitei. 
- E então nada comigo? 
- Eu não sei nadar direito. 
- Vem não deixo você afundar. 
Pulamos na água gelada da piscina, com o biquíni molhado era impossível não notar meus seios ouriçados ele foi caminhando mais para o fundo me puxando pelas mãos como meus pés não tocavam mais o fundo tive medo e me agarrei a ele ficando praticamente centímetros de sua boca, ele me apertou contra o corpo e nos beijamos.


Tive medo afinal ele era amigo do meu pai, resisti um pouco, tentei me esquivar, mas não era como os meninos da faculdade, sabia onde tocar, sabia o que fazer, era impossível resistir a ele...
Arrancou meu biquíni me deixando nua na piscina, me agarrando passando a mão por todo meu corpo. 
Então ele me diz: - Vamos brincar lá dentro Alma?
Voltando para a realidade, de eu nem conhecer-lo direito e tudo mais...
Disse não, que era uma loucura, e fui me vestir...
Ele me puxou pelo braço e me disse: - Alma você não está entendendo, chamei para subir comigo, não te dei opção para dizer não.
Então, vem brincar comigo, tenho vários brinquedinhos. 
Conheço seu tipo, você vai gostar... 
Ele foi grosso e me tratou mal, mas não entendo até agora porque isso mexeu comigo, não tive medo, não fui forçada, fui magicamente hipnotizada por aquele homem, até o momento só tinha provado garotos, e ele, nossa ele sabia conduzir...
Lambendo meu pescoço, passando as mãos pelos meus seios não resisti e o segui sem saber o que me esperava. 
Chegando no quarto dele, me jogou na cama e prendeu com algemas na cabeceira da cama.
Tive medo e desejo, então pegou um instrumento que mais parecia um alicate e apertou os biquinhos do meu seio com ele, uma misturinha de dor e prazer me dominava, abriu minhas pernas e com um anel dava pequenos choques no meu grelinho que se derretia de prazer, comecei a pedir mais, ele me chamava de minha pequena vadia...
Enfiou seu pau imenso na minha boca para eu chupar, enfiava tudo eu babava, soltou as algemas da cama prendendo nas minhas costas, segurando minha cabeça empurrava para que eu o engolisse todo.

- Vem quero te provar...
Deitou-se, e mandou que eu agachasse na sua cara. E me chupava deliciosamente, a língua mais poderosa que já passou por minha xota...
Gozei na sua boca todo meu mel...
Soltou as algemas, eu o cavalgava, gemia alto, como louca falava - Vem me fode porra !!!!
Me pegou com força, me colocou de quatro e meteu forte e viril na minha xota melada, puxava meus cabelos e gemia alto e ofegante...
- Vem cachorrinha, vou comer seu cuzinho...
- Não, isso não... Nunca fiz isso, e já ouvi falar que dói...
- Não vai doer não, o tio sabe fazer gostoso...
- Mas se doer você para?
Fez que sim com a cabeça, me colocou de quatro e passava algo geladinho no cu, começou a colocar um dedo, depois dois, devagar, escorregando, fui gostando da sensação... Me colocou deitada de ladinho e foi aos pouquinhos enfiando o pau enorme no meu cuzinho, e me masturbava, era uma mistura de dor e prazer ao mesmo tempo, a medida que me tocava fui relaxando e ele acelerando o vai e vem...

Fui inundada por um prazer que nunca havia provado antes, ofegava e gemia como uma puta vadia, era assim que ele me chamava, na verdade putinha, rs...
Gozei de novo, e ele esporrou todo leite na minha bundinha branca e ficou me dando surra de pica...
Fiquei na casa dele por todo feriado, e imaginem trepamos nos quatro cantos da casa das formas mais loucas possíveis...
Meu pai? 
Ah não, ele nunca descobriu até hoje...

Alma das Rosas

O cú da feinha


Ah pobre feinha,
Gostava tanto de dar o cu,
Maldita era sua aparência, 
E porque cismou com a minha pica?
Toda maliciosa,
Para mim a bunda empinou,
Me mostrando o cu,
E nele com o dedo penetrou,
Me provocando e arregaçando,
Deixando o pequeno buraquinho a me ver,
É bem verdade que comi,
Mas só porque nada tinha de melhor passando na TV...

Alma das Rosas

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Licor


Quero te explicar de uma vez,
Não me respeite da forma social e lógica...
Quero e gosto de sussurros putinhos e pegada gostosa sem eu me programar!
Do cheiro macho que exala do teu corpo depois do trabalho, do olhar tirano e safado que faz quando acha que não estou reparando.
Quero que me tenhas como sua puta de gaveta, disso meu caro eu não abro mão!
Que me cheire como cadela no cio, e que me beba como licor Grand Mariner...
Mas o que os outros vão pensar?
Eu lhe digo meu bem:
- Lá vai a vadia que tem sua libido inúmeras vezes saciada!

Alma das Rosas

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Odor di Femina


Sempre tive um lado ácido, meio exótico e meio incontrolável.
Um lado profano mesmo!
Mas fui educada nas normas de etiquetas onde uma mulher deve se comportar como uma lady.
Trajes requintados e bem cortados que valorizem bem mais que apenas o corpo, mas que demarquem em sintonia precisa uma marca de quem sou.
O falar baixo e eloquente foi aplicado ao meu vocabulário fazendo de mim uma mulher agradável de se conversar, até o olhar é uma marca memorável aqueles que tem o prazer de neles mergulhar.
O intuito era formar uma moça de alma calma, porém depois de tanta sabedoria adquirida era quase que inocência que eu não descobriria para que serve o ar angelical, não é mesmo?
Então escolho ser demônia!
Como uma aranha audaciosa escolho minha presa e a faço mergulhar em meus encantos pueris e doces.
O sorriso acentuado marcando o território, mergulhado ao meu "odor di femina" se torna o toque pincelado da obra de arte profana, que tão logo apenas minha presença sana a febre intensa de não estar ao meu lado.
Que demarca o fato que por mim tu estarás APAIXONADO!


Alma das Rosas

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Massagem completa

Tua vida dá um livro, um blog, uma revista...
Tantas pessoas me falando isso e já estou acreditando.
Nossa se estou, uma prova disso foi o que me aconteceu ontem sexta-feira!
Bem tive uma semana difícil com os negócios, com a minha mãe, com meu ex que resolveu brigar pela guarda da nossa cachorrinha, com o vizinho do apartamento de cima, com o porteiro do prédio que sempre troca minhas correspondências, e com a TV a cabo.
Resumindo semana péssima fechada com chave de ouro com um cliente todo errado que fez queixa ao meu patrão que me chamou para conversar no fim do dia.
Cheguei em casa feito uma bala, cuspindo fogo literalmente.
Passei pela portaria e nem perguntei pelas minhas correspondências, e se o topeira do porteiro já tinha achado onde elas foram parar. Entrei direto no elevador apertando meu andar.
Abri a porta chamei a Fiona e não ouvi ela latir, fui até a área e estava lá o bilhete:
- Levei a Fiona para morar comigo, você trabalha demais e lá ela ficará com a minha mãe e meus irmãos pequenos.
Furiosa rasguei o bilhete e me afundei no sofá... Só me faltava essa o idiota ainda tem minha chave e leva a cadela.
Ouvi o celular na bolsa tocando e acho que foi o automático que me fez pegar e olhar, pois eu mesma não estava com vontade de falar com ninguém...
Olhei o zap e vi os grupos, papo das meninas marcando pizza, no outro o grupo o pessoal marcando trilha, mensagens da minha mãe umas 30, não essa eu não vou abrir e nem o grupo da família, esse então nem pensar!
Dai chega uma do Fábio, um amigo que fiz pouco tempo que conheci na internet no grupo de curiosidades no facebook.
O grupo tinha marcado uma saída e lá conheci vários integrantes e o Fábio, acabamos tendo grande afinidade e hoje é um amigo pessoal e mantemos uma amizade fora da net.
Abro e vejo: - Oi estou com o táxi aqui no seu prédio, vim trazer um cliente e veja só a coincidência!
Está em casa? Foi meu último passageiro, queria saber se quer dar uma volta?
Bem não estou boa pra ver ninguém, mas o Fabio não sabe e nem tem nada haver com minha semana ruim...
Vou responder: - Meu bem estou em casa sim, sair eu não quero mas sobe aqui!
Levanto e vou esperar ele na porta que chega com aquele sorriso lindo e carinhoso, tento fazer uma carinha melhor mas ele saca logo que não estou bem...
- O que você tem Alma?
- Fábio, eu tenho tanta coisa que estou tentando descobrir o que eu não tenho...
Entramos sentei no sofá e coloquei uma música da Cat Power pra rolar.
Ele me vira e diz: - Minha flor eu sei o que você está precisando, vai lá toma um bom banho morno que te faço uma massagem relaxante!
Olhei meio entre sorriso e disse: - Sério isso? Não sabia que além de taxista você era massagista!
- Pois é Alma, tem bastante coisa que você não sobre mim!
Fui tomar um banho obediente e voltei enrolada no roupão...
Cabelo lavado e corpo cheirando a lavanda.
Olhei pra ele que estava brigando com o som e o controle remoto e ri...
- Fábio você trabalhou o dia todo não precisa fazer isso, cuidar de mim...
- Será um prazer minha flor, mas não quero tocar em você tão empoeirado como estou onde fica o banheiro?
Indiquei a ele o banheiro, lhe dei uma toalha e uma bermuda que meu ex tinha largado lá.
Aproveitei para preparar algo para comer enquanto ele tomava o banho, quando veio até a sala percebi o quão atraente Fábio era.
Só de bermuda tactel e sem camisa, um moreno charmoso de peito largo...
Lhe ofereci o lanche mas ele disse: - Depois da massagem, primeiro vamos cuidar de você!

- Bem tenho um óleo muito refrescante lá no quarto. Eu lhe respondi...
Fomos para o quarto e entreguei o óleo pra ele, abri o roupão e deitei de bruços na cama.
Coloquei uma toalha por cima do bumbum e disse que ele podia tirar o meu roupão, ele retirou e delicadamente espalhou o óleo por minhas costas fazendo em mim uma massagem suave porém com uma pegada intensa me relaxando por completo.
Eu sentia suas mãos por toda as minhas costas até a cintura, logo seus dedos começavam a me arrepiar quando tocava minha lombar e fui tomada por um tesão intenso que gemi sem querer e ele notou.
Tirou a toalha que cobria minha calcinha e massageava vorazmente minha bunda, a puxou para cima deixando enterrar o fio dental em minha xota molhada.
Eu me arrepiava e me deliciava...

Afastou minhas pernas e ajoelhou entre elas me puxando e me colocando de quatro, empinei o bumbum e ele lambia meu cuzinho apertado, invadindo meu buraquinho com sua língua deliciosa... Nossa isso é uma das coisas que mais me excita!
Ali eu já estava entregue,  ele tirou minha calcinha e penetrava os dedos em minha xota enquanto eu gemia e mordia o travesseiro.
Eu sabia que ele observava minha reação quando seus dedos entravam em minha xota molhando seus dedos grossos...
Me  jogou na cama, tirou a bermuda e se sentou em cima de mim fodendo meus seios.
Eu aproveitava para dar chupadinhas na cabecinha do pau dele deixando ele louco de tesão...
- Vem por cima, vem!

Ouvir a voz dele me convidando ao galope me deixou faminta.
Montei lentamente em seu pau aproveitando todo o comprimento, entrando e saindo de mim.
Ele tinha a voz excitante me chamando de bebe enquanto eu galopava.
Me pediu pra eu sentar na cara dele e me chupava gostoso...
Gozei meu mel em seus lábios, e acredite o melhor oral do mundo!
Me colocou apoiada na cabeceira e entrou em meu rabinho delicadamente, eu gemia com seu pau em meu cu...

Ele me masturbava enquanto metia e fui me excitando tanto que eu pedia pra ele meter com força.
Me colocou de joelhos e esporrou em meu rosto.
Nunca vi tanta porra, rs...
Caímos exaustos lado a lado e sorrimos um para o outro.
- Melhor tomarmos um banho que tal?
Tomamos uma ducha entre mais brincadeirinhas no banheiro.
A semana pode até ser tido difícil, mas foi fechada realmente com chave de ouro!

Alma das Rosas

Pensando em você


Pensando em você me toquei,
Me entreguei ao êxtase ao lembrar nossos momentos juntos, o gosto da tua boca o cheiro do teu corpo, o arranhar das tuas unhas em mim.
De olhos fechados tocava delicadamente meu grelinho chamando por teu nome, ah... teu nome!
Era como eu pudesse sentir tua língua entre minhas pernas invadindo meu sexo tão vorazmente que eu me sentia tremer feito gelatina.
E me entreguei as memórias dos momentos lascivos e intenso de prazer...

Alma das Rosas

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Doméstica




Quando cheguei em casa, descobri porque tinha pó nos móveis.
A criada tinha desobedecido as ordens!
Ah vadia, sua cretina...
Sua estúpida meretriz.
Chupava com gosto, engolia até o fim...
Salivando todo comprimento e o fazendo gemer.
E aquele descarado, não fazia nem menção de esconder que estava a se deliciar.
Perdão meus queridos mas olhem lá!
O tiro foi certeiro, eu tive que fazer...
Não havia como negar e nem pra onde correr.
Quando interrogada não neguei o ato feito, nem da responsabilidade neguei os preceitos.
E com toda calma do mundo me dirigi ao juiz:
Não foi pela traição que matei aquele infeliz.
E sim por ter seduzido a faxineira.
Tem ideia quão difícil se tornou arrumar uma camareira?
Ele que comece a jardineira enfim, pois não ligo mesmo para as flores do jardim.
Porém casa suja eu não posso aguentar, será meu crime tão hediondo assim?
Perdão a todos mas pó nos móveis é demais pra mim!

Alma das Rosas

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Uma foda deliciosa

- Oi Ana tudo bem?
- Sim Alma, tudo ótimo. O que você queria me contar menina?
- Bem melhor você encher teu copo porque a história é longa e faço questão dos detalhes...
- Ui, nossa garota. Fala então....
- Bem você lembra que eu tinha te contado que um amigo que eu não via a um tempão estava morando no meu bairro novamente certo?
- Sim lembro bem, o bonitão da foto do zap!
- Sim esse mesmo, passamos a nos ver sempre pois ele começou a caminhar junto com o nosso grupo.
No começo caminhava e se exercitava sozinho, mas como conhecida dele me senti na obrigação de enturma-lo com nosso grupo e dai passamos no mesmo horário a andar em grupo.
Os meninos foram super simpáticos e as meninas claro uns amores, até porque ele é um cara charmosos e com uma conversa agradável.
Então fluiu bem de boa, e logo já estava enturmado com o pessoal.
Flávia que não é boba está dando várias cantadas nele e parecia que estava fluindo um interesse mútuo entre eles, eu achei super bacana e dei a maior força.
- Alma tá até ai normal a tua cara fazer de cupido, mas não é isso que você tem pra me contar...
- Sim Ana, vou pular essa parte e ir direto pro dia de ontem...
- Espera, deixa eu pedir uma porção de batatinha que pelas voltas que você está dando o negócio ferveu certo?
- Pois é amiga, eu estava super chateada ainda por conta de meu último namoro não ter acabado muito bem e saber que o Fred estava com outra me deixou numa pior, como de costume encontrei esse meu amigo e fomos caminhar.
Por escolha dele evitamos o grupo e fomos falando da nossa vida e nossa situação amorosa e pelo que passamos.
Foi agradável na volta resolvemos parar naquela praça mais perto da minha casa e pedimos um sorvete e eu distraidamente esbarrei em um rapaz que corria com o cachorro e derrubei em cima de mim.
Fiquei chateada e ele rindo me disse que eu não estava nos meus melhores dias, e não deixaria eu ir pra casa até eu estar bem.
Fomos a casa dele, tudo muito bem organizado e com um bom gosto incrível.
Ele  me deu  uma toalha e uma camiseta dele e disse que banho quente sempre anima e enfeitou o rosto com um sorriso charmoso que eu nem havia notado antes que ele tinha.
Animada fui tomar um banho e tirei a camiseta melecada de sorvete e a bermuda, minha sorte é que não sujou o top nem a calcinha.
Sai do banheiro meio sem jeito só com a camiseta dele e com a roupa que eu tinha lavado embaixo do chuveiro.
Ele riu e falou  para eu colocar lá fora pra secar...
Fiquei olhando para ele que preparava algo na pia e com uma voz certeira afirmou: - Enquanto suas roupas secam um pouco você fica pra comer algo, certo?
Comer algo, aquela frase me deu um duplo sentido que ri e apenas balancei a cabeça...
Ele me deu o controle da TV, e disse que ia tomar um banho.
Fiquei na sala zapeando a programação foi quando ele veio com sanduíches e suco para nós, comemos e rimos do programa humor que passava na TV.
Fui ajudar ele levar as coisas para a cozinha e lhe dei um abraço de agradecimento por ter melhorado meu dia.
Foi quando nos olhamos nos olhos e ele fez menção que iria me beijar e eu abaixei o rosto desviando.
Mas ele me pegou pelo cabelo e me roubou o beijo mais quente que eu havia provado, não resisti o gosto dos seus lábios e me entreguei aquela sensação deliciosa...
Logo ele já me pressionava contra a parede me tirando o fôlego.
Na TV rolava algum filme que havia começado e minha mente já estava longe daquele ambiente, a respiração cortante e as mãos dele pelo meu corpo me pegando com força e eu ali derretendo.
O pênis dele roçava duro em mim enquanto ele apertava meus seios e me beijava mordendo a minha orelha, me lembro até de ouvir os meus gemidos...
Me puxou pelas mãos e me jogou praticamente no sofá, já tirando a minha blusa e o top sugando meus seios faminto.
Mordiscava de leve e eu em êxtase...
Arrancou minha calcinha e ajoelhado diante de mim abriu minhas pernas, começou beijando meus joelhos e roçando a barba por fazer em minhas coxas.
Eu já estava louca de tesão, mas ele de modo sedutor me cheirava delicadamente...
- Nossa! Eu teria gritado me chupa, anda!!!!
- Ana ele tinha um jeito louco de sedução que nunca provei e fazia isso enquanto me olhava e estudava minha reação, passou para a outra coxa fazendo o mesmo até passar o queixo na minha boceta me arrepiando até a alma.

Me deu um puxão brusco e invadiu minha xota com a língua mais deliciosa que já esteve entre minhas pernas, ele era perfeito nos movimentos e eu tremia quando ele mordiscava meu grelinho.
Invadiu minha sexo com os dedos hábeis e gozei infinitamente.
Ele sai do meio das minhas pernas e me perguntou se eu  já havia provado meu gosto?!?!
Respondi que não, ele me beija e sinto meu cheiro e meu gosto nos lábios dele.
Fico louca como um cara pode me deixar com tanto tesão tendo acabado de gozar?
A essa altura eu estava faminta para chupar ele e puxei o cadarço da calça que ele vestia.
Se colocou de pé a minha frente e lá estava aquele pau duro e ereto pra mim.
Passei delicadamente a língua fazendo movimentos circulares na cabecinha proporcionando a ele o mesmo que ele tinha feito comigo me demorando ali, olhar suas expressões me divertia.
Mas quando o engoli vi ele fechar os olhos e gemer meu nome respirando fundo...
Chupei ele deliciosamente indo até o fundo da garganta, enquanto massageava suas bolas.
Ele me puxou com força me colocando de quatro e meteu com vontade em minha boceta, num ritmo frenético...
Puxava meu cabelo, e batia na minha bunda.
Me pegou com força pela cintura me dando estocadas e eu gemi feito uma cadela no cio...

Se sentou no sofá e eu montei nele, subindo e descendo naquela pica gostosa e chamando ele de meu puto.
Ele me olhou nos olhos e disse: - Vai minha puta, me dá prazer...
Gente qual a mulher que não se derrete com essa?
Fui com gosto.
Gozei gostoso no pau dele...
Ele disse que ia gozar e me levantei para saborear toda porra...
Tomamos uma ducha juntos e trepamos no box também.
Exaustos dormimos juntinhos e fui pra casa depois do café e de mais uma foda logo pela manhã.
- Alma que isso amiga?
- Pois é Ana, agora eu te digo e a Flávia heim?
- Na boa, perde o carinha não ele está na sua não na dela...

Alma das Rosas

quarta-feira, 8 de julho de 2015

13 tipos de pênis mais comuns

Conheça então os 13 tipos de pênis mais comuns entre nós: 

1) Pênis Banana 

É grande e lisinho. 

2) Pênis Beringela 

Começa fino e engrossa na ponta. 

3) Pênis Cenoura 

Começa grosso e termina fino. 

4) Pênis Pimenta 

É pequeno e cheio de veias. 
pimenta penis

5) Pênis Cogumelo 

É pequeno e cabeçudo. 

6) Pênis Flor Murcha 

Quando flácido, parece uma rosa murcha devido o prepúcio.

7) Pênis Gonzo 

Como o nariz da personagem dos Muppets, é grande e entortado para baixo. 

8) Pênis Kinder Ovo 

Pênis que brinca de Michael Jackson – sua base é negra, enquanto sua cabeça é branca. Oi? 

9) Pênis Exagelado 

Sabe o sorvete? Então – risos. Comprido e fino ZzZZZZZz



10) Pênis Guirlanda de Natal 

Tá vendo essa guirlanda? Agora imagina um pênis no meio dela… Mais conhecido como floresta negra, é um fica a dica aos homens que acham que aparar não é necessário. 

11) Pênis tipo Polenguinho 

Se você é uma pessoa de sorte, nunca se deparou com um pênis tipo polenguinho. Ew, precisa explicar mais alguma coisa? A única alerta é : fique longe deles, afinal, na maior parte das vezes não é só sujeira, é de DST pra baixo. 

12) Pênis Placa de Trânsito

 

Tortinho para algum lado, que nem uma seta de trânsito. Fofo, né? risos.

13) Pênis Achatado 


Imagina passar um rolo desses em uma massa de pão, ou melhor, em um pênis? Pois é, eles existem e são achatados. Que dó!
O que acharam desta lista galerinha?

Créditos http://www.darmesexshop.blog.br/descubra-os-treze-tipos-mais-comuns-de-penis/

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Confissões de uma adúltera


Assim que ela entrou no meu consultório senti um arrepio na espinha, cabelos longos encaracolados, olhos negros, seios fartos, boca carnuda e rosada, tudo isso embalado num vestidinho tomara que caia.
Olhou para mim e disse: - Posso entrar? Sou a próxima doutor.
Que voz macia, seu falar era tipo rouco e suave, conseguiu me deixar atordoado e atrapalhado, que de impacto ajeitando meus óculos disse:
- Sim entre, por favor, queira sentar-se, seu nome, por favor?
- Me chamo Fernanda, ou Nanda se preferir assim.
- Nanda, por que precisa dos meus serviços de terapia? Vejo que foi indicada pela doutora Fabiana, que é psicóloga.
- Sim doutor, ela me pediu para procurá-lo, pois sou uma adúltera, não consigo me manter fiel, e ela acredita ser uma patologia a ser tratada talvez com terapia, então resolvi tentar.
Eu a observava era um demônio de mulher, suas mãos, seu falar, seria minha perdição, mas colocando minha profissão à frente resolvi tratá-la.
- Bem querida, prefere ficar sentada ou deitar ali no divã?
- Prefiro deitar-me.
Ela deitada no divã, seus seios fartos ficaram mais arrebitados, seu colo alvo desenhado, os cabelos caindo, parecia uma pintura, foi quando ela começou a falar...
- Bem, sou casada há 10 anos e o amo, mas sempre o traio, chegou ao ponto de arrumar um amante fixo, e a traí-lo também, é mais forte que eu...
Já o trai até com o pai dele, diga-se de passagem, o coroa gostoso.
Mas não foi só esses teve também o entregador da farmácia, meu professor de dança, meu ginecologista e nem sei mais quantos...
 Mas não é justo, quero ser fiel doutor, mas se sinto que um homem me olha com desejo, os biquinhos dos meus seios ficam arrepiados, minha bocetinha fica molhada, e não resisto, e se o cara já sair me pegando pronto dou pra ele cheia de fogo...
E ela foi descrevendo aquilo tudo, fui ficando excitado com tudo o que ela dizia, não conseguia avaliar nada, apenas estava exitado, mas tentando manter o profissionalismo continuei: - E mulheres, o já traiu com mulheres?
- Sim doutor, com a faxineira, ele estava em casa então a mocinha chegou e começou a arrumar a sala, dai ela começou a tirar pó dos móveis meu marido então se virou para mim e disse que iria para o quarto por causa da poeira...
E eu doutor fiquei ali na sala e percebi que ela estava me olhando, não resisti, olhei pra ela com desejo, sentei no sofá de frente a ela abri as pernas a calcinha aparecendo, então ela se virou e disse que calcinha linda madame, então virei pra ela e disse, vem ver de perto, ela se ajoelhou, colocou a calcinha de lado e começou a me chupar, lambendo meu grelinho ouriçado e...
- Tudo bem, tudo bem, já entendi.
Aquela altura meu pau já estava latejando, o suor escorria pela minha testa.
Ela sentou-se, e me olhou e me disse:
- Ai doutor tem cura?
Não resisti, esqueci todos os protocolos que aprendi em anos de minha profissão e respondi:
- Bem vejamos, preciso saber como você chupa para avaliar melhor.
Ela olhou sorrindo e faminta, abriu meu zíper e começou a engolir meu pau, louca, batia com ele no rosto, lambia minhas bolas, abri o zíper do vestido dela, lambi os peitos dela e comecei a foder os seios dela e de boca aberta ela lambia a cabeça do meu pau...
Deliciosa aquela boca...
Arranquei a calcinha dela, uma bocetinha rosada depiladinha com um grelo enorme olhando pra mim, cai de boca, ela gemia baixinho para não fazer barulho...
A coloquei de quatro e comecei a lamber aquele cuzinho apertado e deslizei um dedinho ela deu uma gemidinha dai coloquei dois, ela me disse:
- Hum doutor, vem mete vai, preciso de injeções...
Meti na bocetinha dela com vontade, dando estocadas vorazes e a masturbava ao mesmo tempo, pedi a ela para vir por cima, ela sentou na minha vara, os seios saltando ela segurando o gemido e gozando deliciosamente, ficando toda molhada...
Pedi a ela para ficar de quatro pra engolir seu remedinho e esporrei dentro da boca carnuda dela que engoliu lindamente.
Refazemos-nos e ela se virou pra mim e disse: Na próxima sessão quero no cuzinho meu remedinho heim !

Alma das Rosas

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Um conto erótico apaixonante




Foi como se eu esperasse por ele toda minha vida...,
fui até o aeroporto ansiosa pelo seu desembarque...
Olhava o relógio minuto a minuto, era quase uma tortura, um misto de angústia e prazer.
Minhas pernas estavam bambas, como seria vê-lo pela primeira vez em carne e osso na minha frente?
O que eu iria dizer? Onde poderia toca-lo?
Prometemos nos manter distantes, não faria nada que ele não permitisse, apenas aproveitaria da sua companhia para conhece-lo...
As horas não passam, desconto minha ansiedade enrolando o cabelo mania que tenho desde menina isso sem falar do defeito de morder o canto do lábio inferior, ando de um lado para o outro...
Nunca um "estranho" me causou tamanho poder, na verdade nunca homem nenhum fez isso comigo, por fim procuro uma máquina de refrigerantes e saio de onde estava, sinto uma mão em meus ombros e sua voz como sempre imaginei que fosse falando meu nome bem perto do meu ouvido...
- Alma...
Apenas uma palavra, apenas meu nome, algo tão comum, tão banal, mas que me deixou descompassada, viro rápido a procura dos seus olhos e digo sorrindo fingindo naturalidade...
- Como me viu aqui? Sei que de frente afinal sempre nos falamos pela cam e fotos, mas me reconhecer de costas, por essa eu realmente não esperava...
- Primeiro, segui seu perfume... Segundo, duvido encontrar outra mulher que tenha essa tatuagem. E como você está com seu cabelo preso e essa blusinha de um ombro nu não foi difícil identificar-la não acha ?
Meio sem jeito concordo com a cabeça, sorrindo e mordendo o lábio...
- Posso te pedir duas coisas ?
- Sim claro...
- Primeiro um abraço, segundo não morde os lábios para mim nunca...
Sorri e dei-lhe um abraço, a química entre nós era muito superior que nossos desejos, algo que não consigo disfarçar, os bicos dos meus seios se enrijecem ao encontro do seu peito mas sinto um alívio em perceber que a excitação não é só minha, ele tenta disfarçar e me solta...
Meio que sem jeito entre mordida involuntária nos lábios e mexida de cabelo digo que estou de carro e me ofereço para levar-lo aonde se hospedou, sei que sua vinda era rápida, pois vinha tratar de negócios amanhã mas adiantou a viagem por algumas horas para me conhecer pessoalmente e como já era por volta das 19 hs resolvemos parar para comer algo e beber um bom vinho que meio relutante deixei ele escolher optou por Camigliano Poderuccio bebemos e saboreamos uma pasta maravilhosa, falamos sobre tudo rápido e descompassado pois mesmo conversando quase diariamente ao vivo é sempre diferente, paramos na praia caminhamos um pouco e disse a ele...
- Amanhã sua reunião vai ser longa, te levo até o hotel e deixo você descansar de mim...
Ele sorriu e apenas acenou com a cabeça, fomos até o carro e fui mostrando as músicas que gosto.
Afinal quem me conhece um pouco que quando estou feliz eu canto...
Chegamos ao hotel e fui me despedir com um beijo em seu rosto, mas ele segurou minhas mãos e pediu para eu subir um pouco, apenas para me entregar um filme que comprou para mim...
Aceitei, mesmo sabendo do perigo que este simples ato me envolveria, mas não era mais dona de minhas vontades e deixei me levar...
Subimos os andares sem nos falar, apenas ouvindo a respiração um do outro que se tornava rápida...
Entramos no quarto, e ele trouxe para mim o dvd. Sorri e agradeci e disse..
- Obrigada, agora me vou...
- Fica...
Era tudo que queria ouvir, pulei em seu pescoço como uma menina e me servi do beijo mais doce que jamais pensei em ter, a barba que roçava meu pescoço despertava meu sexo latejante, minhas pernas bambas, minha respiração ofegante, as mãos úmidas, e eu o abraçava como se ele fosse sumir ao abrir dos meus olhos, mas ele estava lá, mais faminto que um lobo, olhar penetrante e voraz...
Ofegante arrancou minha blusa e meu sutiã, deixando os seios livres...
Tirei sua blusa e me servi de seu peito, me puxou para a cama se deitou por cima de mim, e olhos nos olhos me perguntou:
- Tem certeza?
- Como jamais tive...
Me beijou a boca com sofreguidão, fez o caminho até meus seios os sugando e se deliciando, eu estava molhada, e me derretia de desejo, foi me beijando por todo o corpo e delicadamente tirando minha saia, e com a boca tirando minha calcinha, eu estava ali nua para o seu e o meu prazer, ele se serviu do meu sexo, me chupava, me engolia, eu gemia e me entregava, me derretendo entre suspiros gozo, sim gozo chamando-o pelo nome...
Me levanto brusca desejando meu premio, voraz, animal, arranco-lhe a roupa liberando seu pênis e o engulo saboreando o que queria desde o início, olhando para ele enquanto chupo com a cara mais levada que sei que estou fazendo, ele segura meus cabelos e me conduz nessa vontade louca...
Me joga na cama e por cima mete com força em mim, me fode olhando nos olhos, firme, duro dentro de mim, sai bruco e me puxa para cima dele, eu cavalgo numa mistura de prazer e  êxtase supremo gozo...
- Vem... Diz seco e firme...
Me coloca de quatro e mete firme puxando meus cabelos, como um animal me possui, movimentos fortes e intensos, e me derramo em prazer, gemendo alto, ouço sua respiração ofegante, gozo mais uma vez, e ele tira e goza onde sempre quis... 
Em cima da rosa.
Ofegantes nos beijamos e sou conduzida ao um banho com ele, sem palavras, sem nada, apenas nós e um momento mais que especial, a noite foi longa, aproveitamos todos os momentos e depois de mais uma duas ou três vezes o deixo dormindo e parto...
O telefone toca ao longo do dia, não atendo não quero despedia, apenas o gosto do beijo carnal em meus lábios...

Alma das Rosas

terça-feira, 19 de maio de 2015

Fetiche

Todo mundo tem fetiche isso é fato!
Mas você com certeza sabe que fetiches tem nome, certo?
É alguns são estranhos e de ouvi-los você as vezes não reconhece ou até mesmo não conhece...
Aqui vai uma lista de alguns fetiches para você não se espantar quando ouvir o nome da próxima vez, ou quem sabe lhe de curiosidade de praticar...



Adstringopenispetrafilia: fetiche por amarrar pedras ao pênis.
Agalmatofilia: atração por estátuas.
Agorafilia: atração por copular em lugares abertos ou ao ar livre.
Aiquemofilia: Prazer pelo uso de objetos cortantes e pontiagudos.
Amaurofilia: excitação da pessoa pelo parceiro que não é capaz de vê-la -não se aplica a cegos.
Anadentisfilia: excitação e prazer sexual por pessoas sem dentes.
Anemofilia: excitação sexual com vento ou sopro nos genitais ou em outra zona erógena.
Asfixiofilia: prazer pela redução de oxigênio.
ATM (ass to mouth): prática em que o parceiro ativo, após o coito anal, leva seu pênis à boca da pessoa penetrada.
BBW: atração por mulheres obesas.
Bondage: prática onde a excitação vem de amarrar ou/e imobilizar o parceiro.
Bukkake: modalidade de sexo grupal praticado com uma pessoa que “recebe” no rosto a ejaculação de diversos homens.
Coleopterafilia: atração sexual por besouros.
Coprofagia: fetiche pela ingestão de fezes.
Coprofilia: fetiche pela manipulação de fezes, suas ou do parceiro.
Coreofilia: excitação sexual pela dança.
Crinofilia: excitação sexual por secreções – saliva, suor e secreções vaginais
Crematistofilia: excitação sexual ao dar dinheiro, ser roubado, chantageado ou extorquido pelo parceiro.
Cyprinuscarpiofilia: excitação sexual por carpas.
Dendrofilia: atração por plantas.
Emetofilia: excitação obtida com o ato de vomitar ou com o vômito de outro.
Espectrofilia: prática medieval que consiste na excitação por fantasias com fantasmas, espíritos ou deuses.
Exibicionismo: fetiche por exibir os órgãos genitais.
Fetiche por balões: excitação ao tocar balões de látex – usadas em festas
Fisting: prazer com a a inserção da mão ou antebraço na vagina ou no ânus
Flatofilia: prazer erótico em escutar, cheirar e apreciar gases intestinais próprios e alheios.
Galaxiafilia: atração sexual pelo aspecto leitoso da Via Láctea.
Gerontofilia: atração sexual de não-idosos por idosos.
Hipofilia: desejo sexual por equinos.
Imagoparafilia: prazer em imaginar-se com alguma parafilia.
Lactofilia: fetiche por observar ou sugar leite saindo dos seios
Lolismo: preferência sexual e erótica de homens maduros por meninas adolescentes
Kosupurefilia: excitação sexual por Cosplay.
Masoquismo: prazer ao sentir dor ou imaginar que a sente.
Menofilia: atração ou excitação por mulheres menstruadas.
Nanofilia: atração sexual por anões.
Necrofilia : atração por pessoas mortas
Odaxelagnia: fetiche por mordidas.
Orquifilia: fetiche por testículos.
Partenofilia: fixação sexual por pessoas virgens.
Pigofilia: excitação sexual por nádegas.
Pirofilia: prazer sexual com fogo, vendo-o, queimando-se ou queimando objetos com ele.
Podolatria: fetiche por pés.
Pogonofilia: fetiche por barba.
Pregnofilia ou maieusofilia: fetiche por mulheres grávidas e/ou pela observação de partos.
Sadismo: prazer erótico com o sofrimento alheio.
Sadomasoquismo: prazer por sofrer e, ao mesmo tempo, impingir dor ao outro.
Sarilofilia: fetiche por saliva ou suor.
Sororilagnia: sexo com a própria irmã.
Trampling: fetiche onde o indivíduo sente prazer ao ser pisado pelo parceiro.
Tricofilia: fetiche por cabelos e pelos.
Urofilia: excitação ao urinar no parceiro ou receber dele o jato urinário, ingerindo-o ou não.
Voyeurismo: prazer pela observação da intimidade de outras pessoas, que podem ou não estar nuas ou praticando sexo.
Zoofilia: prazer em relação sexual com animais.

Lembra de mais algum?

Põe ai nos comentários....

Alma das Rosas






quinta-feira, 7 de maio de 2015

Eu, meu marido e uma puta

Quantos aqui são casados?
Os que estão frescos ainda provavelmente vão dizer que não, porém aos amigos que como eu possuem mais tempo de relacionamento com sua amada irão concordar prontamente, eis que lhe ofereço a questão:

Já passou em sua mente acrescentar umas brincadeirinha a 3 ou a 4 com sua garota?

Claro que já, confessem...

Fica só entre eu e você meu caro, ou minha cara amiga.
Nega a mim que nunca desejou ter seu adorado te apreciando enquanto você monta um outro homem, ou chupa uma mulher?

Bem irei dividir com vocês que não é algo tão diferente assim se aventurar e apimentar a relação.
Dividindo quem você ama em aventuras picantes e pecaminosas, não se trata de traição pois é consensual e muito mais honesto que sair por ai enganando o parceiro.

Há alguns (vários) anos, eu e minha rainha resolvemos nos deliciar na relação poliamorosa.
Tínhamos muito tesão e então começamos a conhecer e envolver outras pessoas na nossa cama, a internet não era ainda um campo tão perigoso com golpistas e foi um meio de encontrar pessoas com certas afinidades comuns.
Tivemos encontros casuais com homem, mulher e casais.
Foi um período interessante porque exercitamos coisas novas e aprendemos mais sobre nós mesmos.

Começamos meio sem jeito, porém minha rainha aproveitou as situações e eu me excitava com isso.
Era adorável ver o prazer escorrer de suas pernas e ouvir seus gemidos mais promíscuos.

Uma ocasião que eu gosto de lembrar foi uma noite em que saímos para jantar, ela usava aquele pretinho básico fatal e estava muito gostosa, com perdão da palavra P U T A M E N T E gostosa!
Na saída passamos por uma boate dessas com garotas de programa e a desafiei a entrar, ela prontamente me pegou pela mão e quando percebi já estávamos lá dentro daquele inferninho, era cedo e não havia clientes. Só nós dois.
O ambiente era rústico e o lugar cheirava a sexo, pinho e bebida.
Uma garota se aproximou para nos servir e começamos a conversar.
Minha rainha levantou-se e colocou uma moeda na máquina, seu caminhar charmoso iluminou os olhos da nossa atendente que mordia o lábio.
Fui espectador do olhar lascivo daquela mocinha faceira...
Minha rainha escolhia a música e percebi que outra garota se aproximava para orienta-la, mas a nossa querida atendente fez sinal da mesa e a outra se afastou.

A bebida e música naquele ambiente meio escurinho, e resolvemos dançar. .
Eu e minha rainha, depois ela e a atendente, minha rainha e a garota e uma dança a três.
Dava para sentir que nossa atendente tinha saído do banho um pouco antes de chegarmos, seu cabelo ainda estava molhado e a pele cheirava a pachouli.
Numa dança entre elas começaram as carícias e beijos, tímidos mas logo eram beijos de pegar fogo.
Profundos beijos de língua, no pescoço e carícias pelo corpo.
Eu assistindo a tudo, e claro muito excitado e era um espetáculo imperdível.
Depois de um tempo ela perguntou se queríamos ir para um quarto privado e aceitamos.
Pergunte a qualquer mulher se não tiver coragem de perguntar a sua se ela nunca teve curiosidade de entrar num puteiro, irá se surpreender em saber que esse é um dos maiores fetiches femininos meu caro, não concordam senhoras?

Mas voltando ao meu caso, as carícias e os beijos recomeçaram e logo as roupas eram arrancadas no fervor do momento, Elas se deitaram na cama abraçadas, com muitos beijos na boca, pescoço, seios acariciados, beijados, chupados...   Lembro-me que nossa atendente tinha seios pequenos com mamilos pontudos, já minha rainha tem seios mais redondos que enchem um belo decote.

Apreciei suas mãos dentro das pequenas calcinhas e o movimento dos dedos procurando e a cariciando com força clitóris e vaginas.
Ápice o momento em que deslumbrei minha rainha chupando os dedos melados pelo mel de nossa atendente!
A garota desceu pela barriga e começou um banho de língua entre as pernas de minha mulher.
Eu estava explodindo enquanto assistia a tudo me masturbando.
Minha rainha colocou a garota deitada e ficou por cima dela com muitos beijos quentes e carícias, estava de quatro e oferecia a bundinha bem virada para mim.
Foi minha hora, cheguei por trás dei uma chupada em seu cuzinho rosado e penetrei ela, que gemia suave como na primeira vez que transamos.
As duas trocando carícias e beijos lascivos e eu as penetrava com fortes estocadas, revezando em todos os buracos a mim oferecido, sim meus queridos eu estava num harém.
Ficamos assim até gozar juntos.
Assisti elas deitadas e abraçadas até o momento de se despedirem com um oral memorável, minha rainha deitada com a cabeça em meu colo e eu vendo a língua da nossa atendente entrando e saindo da buceta da minha esposa, eu puxava seus mamilos de forma doce e firme lhe completando a explosão de prazer...

Paguei sem questionar a atenção e o serviço carinhoso que a garota deu a minha mulher e fomos embora.
A noite foi inesquecível e a garota ficou na memória.
Seu nome era Letícia.

Alma das Rosas e Soul Warlock

sexta-feira, 27 de março de 2015

O Inferninho da madame Sônia


..E foi no interior que cresci, não tinha muita novidade e nem muito o que fazer.
E  você bem sabe como é a adolescência: queremos nos afirmar e provar o novo.
Então eu e os moleques pegávamos as bicicletas e íamos para o único lugar que era atração para nossa idade: “O Inferninho da madame Sônia”...
Moleques por assim dizer, pois tínhamos de 15 a 17 anos e não podíamos frequentar o perfumado inferninho...
Como morávamos distante daquela atração, que nos roubava a maior parte do dia em articular nossos infalíveis planos para poder entrar lá, ficávamos loucos para as horas se passarem o mais depressa possível e a tardinha viesse logo.
A tensão era sempre grande nas noites de sábado: era o único dia em que podíamos fugir para espiar o inferninho, já que Douglas, nosso amigo de escola morava mais próximo. Pedia-mos autorização a nossos pais para dormir na casa dele, com a desculpa de estudarmos para as lições, alegando que a matéria estava puxada para o 2º ano e que esse nosso amigo era o melhor da turma.
Pobre rapaz, era o pior da classe, mas isso não vem ao caso: sempre conseguíamos aplicar nosso infalível plano e ir espionar o Inferninho.
Pegávamos as bicicletas e íamos de casa em casa,  afim de juntar toda a turma, que era: eu, Mauricio, José, Henrique e o Douglas.
Mauricio era do tipo boa pinta e já tinha os 17 completos. Breve, breve poderia ir no inferninho, estando estava ansiosamente contando os meses para o seu aniversário. José e Henrrique tinham 16 anos, eram gêmeos, mas não eram parecidos. Já  o Zé era mais alto,  e o Rique era o piadista da turma
O Douglas era o gordinho bacana,  que fazia o tipo bobão. Eu e ele tínhamos 15 anos na época: o rosto com espinhas e aquele bigode meio falhado.
Enfim, nos juntávamos e íamos ao inferninho tentar espiar pela janela aquelas mulheres seminuas passavam rebolativas de um lado para o outro (analisando hoje, elas não eram bonitas, mas na época eram as deusas de nossas punhetas).
Ah!... As punhetas da tarde de sábado: só de pensar fico de pau duro!
Mas o dia fatídico foi quando a polícia resolveu dar uma batida no Inferninho da madame Sônia, e nós estávamos espiando pela janela.A polícia entrou prendendo todo mundo. Eu e os moleques saímos em disparada para nossas bicicletas, cada um pra onde deu pra fugir
Peguei a direção oposta dos meninos, e me joguei num mato ali próximo. Estava apavorado e não conseguia me mexer.
Foi quando vi a imagem mais linda da minha vida: uma moça corria de lá de dentro, o vestido vermelho de botão semi-aberto, seus seios saltando dele.
Ela vinha na minha direção, e caiu por cima de mim. Eu a abracei como se fosse um presente.
Ela me esbofeteou na cara e gritou:” Hei, moleque o que é isso?!”
 Então, respondi:”desculpe moça! Vi que correu lá de dentro e quis apenas ajuda-la a se esconder aqui “.
Dai ela disse: “Tudo bem mais o que faz aqui?”
 Respondi o  mesmo que você! Olha, conheço tudo nessa mata, e se você ficar aqui, eles te pegam. Vem que te levo para uma gruta onde pode passar a noite.
E assim eu fiz: levei a moça pra gruta,  onde nos escondíamos do mundo e ninguém nos achava.
Ela era morena cor de jambo, olhos amendoados, cabelos longos e ondulados, e tinha a minha altura mais ou menos. E o corpo mais lindo que já toquei.
Ela caminhava atrás de mim. Eu podia ouvir o roçar de suas coxas,  que ainda deviam estar meladas do gozo de minutos atrás.
Então disse a ela: é aqui...
Ela perguntou minha idade. É claro que menti e disse: “17, faço 18 mês que vem”.
Ela respondeu: Então te darei meu presente de aniversário adiantado: abriu o zíper da minha calça, tirou meu pau e chupou.
 Era mágico! Nem todas as punhetas tocadas naqueles anos e nem todas as chupadas depois daquela foi igual.
Fiquei duro, e me segurava pra não derramar tudo ali.
 Dai ela se apoiou na pedra que parecia um banco, levantou o vestido vermelho e disse: “vem mete aqui!” E enfiava os dedos na buceta cabeluda,  enquanto eu olhava boquiaberto.
 Meti desesperadamente.
Então ela me disse: “Com calma, querido”. “Assim você nem aproveita!”
 Ensinou-me o ritmo: eu chupava seus peitos enquanto metia.
 Ela, (lembro até hoje!) cheirava a jasmim: um perfume forte que entrava na minha mente e pele.
E eu metia mais rápido, e mais rápido. Quando senti que ia gozar ela pegou meu pau e chupou. Eu gozei em sua boca aveludada... Eu suava e urrava. Foi melhor gozo de todos.
Ela me mandou pra casa, dizendo que ficaria ali até pela manhã.
De manhã fui procurá-la com um café, pão e bolo, mas ela havia partido.
Os meninos não acreditaram no que contei.Fiquei conhecido como o “Chico Mentiroso”.
O inferninho foi fechado, crescemos, o tempo passou.
 Hoje sou Dr. Francisco, psicólogo reconhecido, mas não consigo tirar da minha memória a putinha do vestido vermelho, cor de jambo e cheiro de jasmim.

Alma das Rosas

sexta-feira, 20 de março de 2015

O rapazinho que saiu do armário (Homossexual)


Amanda - Alma você está online?
Alma - Sim gatinha pode falar...
Amanda - Faz um conto para mim? É real, te conto a história e você escreve o que você acha?
Alma - Ok, então me conta em detalhes...
Amanda - Sim claro, até porque os detalhes é que são demais...
Alma - Curiosa até o último fio de cabelo...
Amanda - Lembra do Enzo? Então, ele é esquisito, na verdade um Chato...
Alma - Não acredito, você saiu com ele Amanda?
Amanda - Calma, não é bem isso ou é isso, rs... Na verdade era uma pegadinha ele vivia me chateando e me pegou num dia que estava de saco cheio então resolvi zoar com ele..., olha o bate papo dele comigo que você vai entender melhor...
Alma - Cola ai para eu ler !
Amanda - Olha...
Enzo - Fala Amanda! 18:41
Amanda -Oi 18:41
Enzo - vai fazer oque neste feriadão? 18:42
Amanda - vou dar bastante... to precisando relaxar... 18:42
Enzo -dar? como assim? Você não digitou errado não? 18:43
Amanda - Não querido, digitei certinho... Dar, foder, trepar... essas coisas o normal do ser humano certo?
Enzo - E você já tem uma pessoa esquematizada para que isso ocorra?
18:46
Amanda: tenho sim... sempre tenho 18:46
Enzo -Se eu te chamasse para sair você aceitaria?
Amanda - Éhhhh, bem eu não sei...
Enzo - Eu deixei de ser virgem com 25 anos, foi em 2008... e você?
Amanda - Wooooow, eu deixei com 9. Já dei pra caralho.... Aliás, dar tem que ser pra caralho não é?
Enzo - Você curte dar o cu também ???
Amanda - Curto de tudo, querido... Você sabe que quem participa de orgia não pode ter frescura, e pelo visto você quer me comer mesmo e não vai desistir, faço agora a proposta. Para me comer você vai ter e que dar o cu pra todo mundo... pro Rafael, pro Dado, pro Mauricio... já imaginou o tamanho do pau do Dado? Então é isso querido para comer meu cu você vai ter que dar para os meninos da academia sacou é isso ou cai fora e volta para sua vida e deixa a minha em paz !
Enzo - Eu topo, marca que eu vou...
Amanda - O que você aceita dar o cu para os meninos?
Enzo - Contanto eu coma o seu depois eu topo sim !
Amanda - Fechado hoje a tarde na academia ok?
Enzo - Tudo certo eu vou...
Alma - Amanda e ele foi?
Amanda - Foi sim Alma e liguei para os meninos que sacanamente claro toparam enrabar o Enzo, ainda mais sabendo que ele é totalmente preconceituoso...
Bem chegamos na academia e o Dado o professor de musculação, você sabe que ele é enorme não é? Então, tratou logo de preparar aquela sala lá atrás junto com o Mauricio e o Rafa, eu fiquei esperando o Enzo lá na entrada que veio todo saliente querendo me beijar, me afastei e sorrindo falei pra ele que comigo só depois, ele sorriu de volta e consentiu, fomos lá para o quartinho do Dado percebi que ele ia voltar atrás e desistir então tratei de me despir e ficar só de calcinha e me sentei na poltrona de pernas abertas de frente para o Enzo, os meninos se despiram e ficaram se masturbando e foram até o Enzo e o despiram o Rafa colocou ele de joelhos e enfiou a pica na boca do Enzo que para meu espanto engoliu tudo Alma, nossa ele caiu de boca no pau dos meninos, uma verdadeira loucura ele chupava um e tocava punheta nos outros dois, e nem mais olhava para mim, chupava de olhos fechados deliciando-se das picas dos meninos, Dado colocou o Enzo de quatro e lubrificou o rabo virginal do menino e com aqueles dedos enormes tratou o rabinho dele com um puta tesão o Enzo até gemeu, entrou no clima... Os meninos se intercalavam comendo o cuzinho dele e ele pedia: Vai mete, mete fundo nossa ! Era um enrabando, o outro punhetava o Enzo e o outro sendo chupado por ele e eu adorando aquela cena, aquilo até me excitou, eles se divertiam comendo o preconceituoso do Enzo... As posições eram as das mais variadas, teve uma hora que o Enzo até sentou na pica do Mauricio e quer saber, ele tava de pau duro também, estava curtindo o momento gemia,e urrava, pedindo para meterem mais e mais, os meninos esporraram na cara dele e ele os chupava com toda vontade... A cena foi magnífica, nunca tinha participado de uma orgia assim.

Dai falei depois que ele engoliu todo o leite dos meninos.
- Então Enzo, agora você pode vir me comer !
E ele me respondeu:
- O que, ah fala sério Amanda ! Agora que descobri o que é bom? Graças a você e os meninos, me descobri. Sei quem sou e de que gosto, você e eu só amizade tá, não fique chateada...  
Amanda - Tá vendo Alma, no fim acabei sendo eu que levou o rapazinho a perdição, rs...
Alma - Amanda, você não vale nada !

sexta-feira, 6 de março de 2015

Amigo Oculto


Todo mundo conhece aquela brincadeirinha de amigo oculto de fim de ano não é mesmo?

Bem, resolvemos eu e uns amigos selecionados brincar de um amigo oculto diferente...
Fizemos o amigo pornográfico rs...
É bem simples, vou contar como foi...
Convidei 15 amigos para brincar, comigo 16 colocamos o nome num papel depositamos numa sacolinha para serem sorteados, os presentes ficaram restritos a produtos eróticos.
Fizemos uma lista com o que cada um queria, tinha de calcinha comestível á consolo, além  de gel á bonecas infláveis tudo bem sensual e erótico.
Escolhemos fazer na casa de veraneio da Pri pois é um lugar bonito e aconchegante.
Então sorteamos os papéis eu tirei o Ricardo um amigo da época de escola que não via algum tempo, mas quando convidei a Angélica ela fez questão que ele participasse pois estava assim como ela divorciados.
E ela cheia de má intenção o convidou, bem até pensei em trocar com ela o meu papelzinho mas uma voz me disse "assim não vale".
Não sei se era uma voz de anjinho ou diabinho me cutucando mas enfim fui até a lista pra ver o que ele queria.
Bem, ele escolheu uma seleção de filmes pornô com 4 filmes e como era fácil então realmente resolvi não trocar.
Chegando a data fomos pra casa da Pri, eu e as meninas que eramos no total 9 ficamos responsável por arrumar a festa e eles os quitutes e as bebidas.
Arrumamos tudo, colocamos músicas para strip-tease afinal quem errasse tinha que pagar com uma dança bem erótica.
Foi ai que começou a brincadeira a maioria queria errar, rs... 
Chegada a minha vez com as dicas acertei quem me tirou, mas tbém o Paulo foi bem tapado.
Ele disse: - Tirei a mais bela flor do jardim, e eu disse: - Eu né Paulo, pois com o nome de Alma das Rosas impossível ser outra aqui na brincadeira afinal nenhuma das outras meninas tem nome de flor !!!
Agora era a vez do Ricardo eu tirei um moreno que não vejo a algum tempo, dai o Marcelo disse eu? 
Não o Ricardo, vai ter que pagar com um strip - tease. 
Dai veio a resposta, ok eu faço mas só pra você lá no quarto.
Quando olhei para a Angélica ela estava bufando, então sorri e disse: - Ah, mais já que foi a Angel que te convidou acho justo ela ir também.
- Ok, por mim tudo bem, disse o Ricardo entusiasmado.
Angélica adorou é claro, fomos os três pro quarto e deixamos o pessoal na sala, dançando, bebendo e se divertindo, pois logo todo mundo se arranjou.
Ricardo começou a dançar e rebolar, era de tirar o folego !
Ele foi tirando peça por peça e jogando para nós duas deixando a cueca para tirarmos...
Nossa e que delicia, era uma pica grossa e grande daquelas que dá água na boca e cai dentro chupando , passando a bolinha do piercing deixando ele louco.
Eu e Angélica íamos nos dividindo naquela brincadeirinha, eu já estava molhada exitada.
Abri as pernas de Angélica e comecei a chupa-la ela gemia alto.
Ricardo metendo na minha xota com força enterrando aquela pica em minha boceta.
Que festa maravilhosa então resolvemos trocar um pouco...
Ricardo se deitou para Algélica cavalgar subindo e descendo naquela pica grossa e tesuda, enquanto me ele me chupava me levando a loucura.
O menino levado conseguia dar conta das duas, nos colocou de quatro ia dando estocadas nas duas xaninhas taradas, gritamos juntas e loucas de tesão no cuzinho... - Mete vem Ricardo !
Ele não perdeu tempo começou a comer meu cuzinho enquanto Angélica me chupava, eu gemia feito louca, gozei com o pau em meu cuzinho e com os beijinhos delicados de Angélica.
Agora é sua vez Anjinho disse Ricardo a colocando de quatro e metendo freneticamente...
Eu a beijava e a masturbava, ela gemendo e ele estocando o pau fundo naquele cuzinho arregasado de prazer e ela gozou feito uma vadia.
Era vez de Ricardo, ficamos como cadelinhas esperando aquele leitinho enquanto ele punhetava...
Quando veio nós lambíamos todo o leitinho morno jorrado nas duas, uma cena linda de se ver...
Nossa aquele amigo culto foi inesquecível...
E com certeza ano que vem tem mais, e ai quer brincar ? Rs...

Alma das Rosas

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Princesinha do 402


Tinha uma leveza incrível no caminhar, era doce, bonita, angelical uma verdadeira princesa.
Olhos negros, boca rosada, cabelos em caracol, seios fartos e coxas grossas...
Era pequenina e usava um perfume delicioso impossível não olhar para ela quando passava praticamente flutuando num rebolado gostoso dançando pela praça.
Era todos os dias da semana no mesmo horário, fiquei viciado em parar o carro e esperar por ela só pra acompanhar o perfume e seu caminhar...
Eu não sabia seu nome nem onde morava, mas sempre as 22:00 hs ela passava por mim.
E me deixava louco com seu perfume e sua sainha rodada.
Resolvi que a seguiria, só pra saber onde ela ia, que fique registrado que não sou nenhum tarado porém a diaba ao passar por mim só pode ter capturado minha alma e levado para si...
Semana passada não resisti, sai do trabalho e fui ao Mega Mate próximo a praça parei o carro as 21:50 para esperar ela passar...
Em ponto as 22:00 ela passou caminhando como se dançasse!
Ah sua demônia como resistir aos seus encantos?
Corri pro carro e a segui sem que percebesse e quando dobrei a esquina à vi abaixando para pegar uns papéis que carregava e deixara cair.
Era a oportunidade que eu não podia deixar passar, parei o carro e a perguntei se precisava de ajuda...
Ela disse que sim e me explicara que um cara de bicicleta passou correndo e esbarrou nela.
Ofereci uma carona achando que ela iria rejeitar mas aceitou, a levei até o prédio a duas esquina dali.
Disse a ela que sempre a via passar no mesmo horário e que a achava linda, ela retribuiu com um sorrisinho e me disse: - Olha já tinha te notado e te achei muito gatinho, não costumo fazer isso mais sou casada e meu marido é meia bomba e estou morrendo de tesão, você não quer subir pra gente continuar o papo lá em cima não? Ele tá viajando e só vem semana que vem...
Fiquei louco de tesão e achei que aquilo era um sonho maluco que eu estava tendo e o que fazer mediante a essa investida?
Cara isso no mínimo é história de filme pornô não mundo real, não coisa que acontece a um ser humano feito eu homem comum, bem já que aconteceu e era de fato real eu não podia dar para trás e aceitei...
Foi até meio difícil disfarçar para passar pela portaria, em seu apartamento a doce mocinha abriu a porta e foi me agarrando frenética como se não comesse a anos!
Agarrei a guria pela cintura e a apoiei na parede, mordi seu pescoço, lambi sua nuca, coloquei-a sentada no sofá, tirei sua calcinha rendada alucinado naquela história irreal!
Era a bocetinha mais linda que já vi, rosadinha, cheirosinha cai de boca, eu chupava e ela gemia loucamente dizia não para com a voz sexy e rouca...
Até que gozou, mordi levemente os biquinhos dos seus seios,   ela se ajoelhou e me chupou como se não fosse servida a tempos, fiquei louco ela era deliciosa acho que ficarei viciado nela...
A coloquei de 4 no sofá e meti devagarinho, bocetinha apertada, molhadinha, puxei seus cabelos macios e comecei a meter com força, ela gemia, berrava me come, vamos seu puto me fode!
Eu ficava louco ouvindo ela falar assim...
Foi quando ela disse quero no cuzinho, vamos fode ele bem gostoso, quero cavalgar nessa pica baby...
Gente isso é mesmo real?
Não perdi tempo, lambi deliciosamente aquele rabinho atrevido e a coloquei sentada nele como ela queria!
Ela subia e descia apertando meu pau, eu a beijava, chupava seus seios...
Então disse a ela que eu ia gozar e ela atrevidamente disse na minha boca, vem quero beber esse leitinho todo.
Gozei na cara atrevida daquela menina, ela lambia o leite quente da minha pica...
Disse a ela: - Nunca pensei que teria algo com você, sempre a via mas achava que você nunca me notaria, e ela me respondeu, vamos tomar uma ducha?
Tomamos a ducha, dei meu telefone a ela e pedi que me ligasse quando o marido não estivesse em casa, mas ela não me retornou, não a vi mais na praça, resolvi ir no prédio e perguntar pela inquilina do 402.
E o porteiro disse, ah... a atrevidinha ?
Bem meu amigo ela foi pra Alemanha, acho que você e os outros 4 ali foram a despedida dela do Rio de Janeiro...



Alma das Rosas

Puta de janela



Era uma puta de janela, daquelas que pagam boquetes por pensamentos.
Das que gozam usando a imaginação.
E eu pergunto:
- Quem não é?
Todas somos não tente negar!
Culpa desses desejosos seres masculinos que andam balançando o pintos destro das calças.
Hummmmmmmmmmmm e se forem de tecido e sem cuecas, eu viro puta de janela!
Trepo de mil maneiras só de imaginar as derradeiras,
Faço pose e até caretas.

Alma das Rosas

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Casos de família


Fui corrompida pelo olhar lascivo que me lançava na mesa de jantar, tentei disfarçar que não o notava, mas ele me despia apenas com o olhar. 
Ana minha prima animadamente falava qualquer coisa a mesa perante aos convidados, e ele sorria como se desse algum tipo de atenção a pobre esposa; Na verdade acho que ria da minha vontade de sair dali correndo, do meu mal estar. 
Covarde idiota não deveria fazer isso perante toda família a mesa, mas porque este idiota foi ser tão sensual?
Por baixo da mesa esbarra nos meus pés, arrepio-me com a ideia de alguém notar. 
Sorrio de alívio, e ele sorri de volta cheio de más intenções, que ódio e tesão ao mesmo tempo, enfim o jantar acaba e todos decidem dançar, alguns tios decidem por um bingo, Ana anima-se e resolve montar a brincadeira, me convida mas quero sumir logo da vista dele, agradeço e saio, vou caminhar no jardim lá fora.
Me perco em meus pensamentos tentando me distrair com as flores, mas ouço passos logo atrás de mim e uma mão em meus ombros, me assusto e em um sobressalto viro-me.
- Que foi, o que você quer?
- Você !
A voz suave, a barba por fazer, os olhos verdes e penetrantes, o sorriso de canto de boca. 
Quase me perdi, e gaguejando respondo.
- Tá louco, e Ana?
- Estão todos na festa, disse que iria andar um pouco e ela não ligou. Sabe que odeio bingo, ainda me pediu para ver se te encontrava e te fazia companhia, e como sou bom marido aqui estou eu te oferecendo companhia, que tal?
- Seu cretino, me deixa em paz... ( com todo meu tom de desprezo )
Ele me agarra pelo braço e vai me puxando enquanto me debato, soco e digo que vou gritar, ele me arrasta com mais força me leva até o celeiro e grita.
- Quieta. 
Pega uma corda, amarra meus pulsos, mãos viradas para as costas, me coloca sentada sobre uma mesa, levanta minha saia, me debato, segura minhas pernas e cheira meu sexo, arrepio-me, fico molhada, e paro de me debater desistindo, abre minhas pernas, não reluto, afasta a calcinha branca e me xupa, deliciosamente me xupa, sinto seus dedos longos em minha buceta, gemo, ele me penetra forte com os os dedos, gozo em sua boca derretendo de tesão.

Me puxa, ainda estou amarrada, ajoelho-me, ele abre o zíper da calça jeans, tira o pau duro e latejante, ofereço a boca, o xupo, engulo tudo, lambendo a cabeça, ele bate o pau na minha cara, surra de pica, o tesão aumenta, ele me puxa, me põe apoiada na mesa, de bundinha empinadinha, ele arranca minha calcinha, e mete com força, pega meu cabelo pela nuca e me puxa, fico com mais tesão, grito me bate, e me dá palmadinhas na bunda marcando os dedos nela.
- Vem aqui.
Senta-se na mesa, subo, ele me ajuda e monto em sua pica rebolando, a media que ele geme eu acelero subindo e descendo com mais intensidade, meus seios saltam, ele me apoia pelos quadris e urra, sinto a porra quente me invadindo e gozo com essa sensação, caio por cima de seu peito, nossos olhos se encontro e sorrio, ele sorri de volta. Ele me ajuda desmonta-lo, beijando meu pescoço me desamarra, estou descabelada, cansada.
- Vem, ajudo a vestir sua calcinha.
Levanto uma, depois a outra perna. Está ajoelhado a minha frente e cheira meu sexo pela calcinha mais uma vez e diz.
- Você agora está com meu cheiro.
Me beija a boca e diz...
- Porque não nos conhecemos antes Alma das Rosas?


Alma das Rosas